Após um histórico marcado por controvérsias e apagamento das identidades transgêneras em RuPaul’s Drag Race, o reality, finalmente, parece estar passando por um momento revolucionário. Além da inclusão do primeiro homem trans da franquia com Gottmik (13ª temporada, Estados Unidos), a vitória de Kylie Sonique Love no All Stars 6 e a presença de competidorxs declaradamente não-binaries, mais queens que já participaram (ou ainda participam) do programa têm declarado publicamente suas identidades transgêneras, apoiadas pelo público e pelos integrantes da atração.

Quando a 14ª edição dos EUA começou a ser divulgada este ano, os holofotes se viraram para o anúncio do primeiro homem cis heterossexual na história de RuPaul’s Drag Race (Maddy Morphosis) e para Kerri Colby e Kornbread “TheSnack” Jeté, duas mulheres assumidamente transsexuais, no elenco. Pouco tempo depois, com a temporada já no ar, Jasmine Kennedie, Bosco e Willow Pill também anunciaram que se identificam como mulheres trans.

Jasmine declarou sua identidade de gênero em um episódio emocionante de Untucked – que acabou se tornando o mais bem avaliado na história do reality – e, posteriormente, publicou uma carta aos fãs nas redes sociais. No programa, ela reverenciou Colby por sua coragem e por ter lhe inspirado em sua transição. No Instagram, contou mais de sua trajetória, declarou que começou a terapia hormonal poucos meses após finalizar Drag Race e que não poderia estar mais feliz com sua decisão.

Após a exibição do episódio em que Jasmine revelou ser uma mulher trans, Bosco, em postagem bem humorada com a legenda “Eu também sou hetero”, declarou também ter iniciado sua terapia hormonal ao concluir as gravações do programa e que ainda pretende explorar suas opções cirúrgicas num futuro próximo. “Eu sou trans. Meus pronomes fora do drag são ela/elx. Estou no momento mais feliz de minha vida”,  escreveu.

Já Willow Pill, que desponta como uma das favoritas desta edição, postou no último mês que, de agora em diante, seus pronomes serão elx/ela, dentro e fora da performance como drag queen.

“Eu quero compartilhar com vocês porque me senti tão sozinha ao guardar isso para mim. Eu raramente pude conversar com outras pessoas que têm histórias semelhantes, mesmo sabendo que existem muitas assim por aí. […] De agora em diante, usarei Willow dentro e fora da drag, com os pronomes elx/ela, embora saiba que essa experiência não é linear. Estou começando a finalmente sentir um pouco de felicidade com meu rosto e meu corpo, e isso é um começo. Amo muito todos vocês!”, disse.

View this post on Instagram

A post shared by Willow Pill (@willowpillqueen)

Na última semana, foi a vez de Trinity The Tuck. Originalmente da 9ª temporada dos EUA e vencedora do All Stars 4 ao lado de Monét X Change, ela utilizou o Instagram para atualizar os fãs sobre sua identidade de gênero.

“Anos atrás, logo após ter começado a fazer drag, questionei seriamente como eu me identificava com meu gênero. […] Todos têm sua própria jornada, acredito. Falei com vários amigos que são trans para saber o que pensavam ao longo dos anos. Eu ainda não sei aonde minha jornada irá me levar, mas eu sou trans-NB”, escreveu.

A edição da Espanha também não ficou para trás: a segunda temporada trouxe uma competidora transgênero, Juriji Der Klee. Em entrevista para uma revista LGBTI+ bruxelense, a artista revelou que se identifica como trans desde jovem.

“Eu era muita andrógina, já enquanto criança. Escolhendo esse nome para mim [Juiriji Der Klee] foi como uma declaração porque o meu nome de nascimento era exatamente igual ao do meu pai e do meu avô. Próxima a essa energia tradicionalmente masculina, eu sempre vi as mulheres como as pessoas mais fortes ao tomarem decisões e isso sempre me inspirou. Eu sempre sentia que tinha que escolher entre os dois lados. Quando me assumi trans para meus pais, eles me disseram que sempre souberam que esse dia chegaria e foi um grande alívio”, disse.

A drag queen Juriji Der Klee, integrante da 2ª temporada de RPDR Espanhã, é uma mulher trans [Foto: Reprodução]
A drag queen Juriji Der Klee, integrante da 2ª temporada de RPDR Espanhã, é uma mulher trans [Foto: Reprodução]
O atual momento inclusivo de RuPaul’s Drag Race, além de um marco histórico na arte drag contemporânea, é também uma forma de reparação pelas falhas passadas da apresentadora, que já chegou a dizer que não aceitaria como competidoras mulheres transexuais que tivessem passado pela transição de gênero, por acreditar à época que isso mudaria todo o conceito de drag.

Por aqui, seguimos na torcida por todas essas artistas incríveis, dentro e fora do reality. Abaixo, confira cinco outras queens de RPDR que já se declararam mulheres trans ao longo dos anos:

GIA GUNN

Gia Gunn, integrante da 6ª temporada de RuPaul's Drag Race e do All Stars 4 (Foto: Reprodução)
Gia Gunn, integrante da 6ª temporada de RuPaul’s Drag Race e do All Stars 4 (Foto: Reprodução)

A polêmica competidora da 6ª temporada da versão regular dos Estados Unidos se declarou trans num post do Instagram, em 2017. Nele, Gia agradeceu aos fãs que a ajudaram ao longo do processo de autodescoberta e revelou que já estava utilizando a terapia hormonal. Pouco tempo depois, ela retornou para o reality na 4ª edição do All Stars, já em processo de transição.

GIGI GOODE

Gigi Goode, integrante da 12ª temporada de RuPaul's Drag Race (Foto: Reprodução)
Gigi Goode, integrante da 12ª temporada de RuPaul’s Drag Race (Foto: Reprodução)

Finalista da 12ª temporada norte-americana e uma das favoritas dos fãs do programa, Gigi Goode se assumiu trans em 2021. “Eu tinha muitas realizações… uma delas veio enquanto assistia ao show “Veneno“. Não apenas a história, mas também as personagens e atrizes naquela série abriram completamente a minha mente sobre quem eu sou e sobre quem eu acho que deveria ser. Pra mim, isso significa uma pessoa trans-não binária”, declarou em vídeo publicado no seu Instagram.

KYLIE SONIQUE LOVE

Kylie Sonique Love, vencedora da 6 temporada de RuPaul's Drag Race All Stars (Foto: Reprodução)
Kylie Sonique Love, vencedora da 6 temporada de RuPaul’s Drag Race All Stars (Foto: Reprodução)

Primeira vencedora trans sob a decisão de Rupaul no All Stars 6 – Angele Anang venceu a 2ª temporada do Drag Race Tailândia, em 2019, que conta com outro time de jurados -, Kylie Sonique Love veio da 2ª temporada da versão estadunidense, onde revelou, durante a reunião, ser uma mulher trans. “Eu quero compartilhar quem sou com o mundo e inspirar as pessoas a viverem suas verdades e não se abaixarem para ninguém porque nós só habitamos este mundo uma vez e esta vez tem que contar”, disse à época de sua coroação.

LAGANJA ESTRANJA

Laganja Estranja, integrante da 6ª temporada de RuPaul's Drag Race (Foto: Reprodução)
Laganja Estranja, integrante da 6ª temporada de RuPaul’s Drag Race (Foto: Reprodução)

Outra integrante da 6ª temporada, que retornou brevemente para o formato em um lipsync memorável de “Physical, Laganja é uma mulher trans. Em entrevista para a Entertainment Weekly, há um ano, quando se assumiu publicamente, ela disse: “existem tantas outras mulheres ao meu redor que me inspiraram a me assumir hoje, e é por causa de suas lutas e força que eu posso fazer isso. Não viverei mais minha vida com medo”.

PEPPERMINT

Peppermint, integrante da 9ª temporada de RuPaul's Drag Race (Foto: Reprodução)
Peppermint, integrante da 9ª temporada de RuPaul’s Drag Race (Foto: Reprodução)

Segunda colocada da 9ª temporada dos EUA, Peppermint foi a primeira artista da franquia a se assumir como mulher trans antes de participar do programa. De acordo com ela, sua transição começou em 2012, quando se mudou para Nova Iorque – ou seja, 6 anos antes de entrar para o elenco de RPDR. Atualmente, ela continua fazendo performances como drag queen e é uma militante sobre os direitos trans. Torcemos para que ela reapareça em nossas TVs numa próxima temporada do All Stars!